Ir para o conteúdo

Qlaira promete mil e um bônus além da contracepção

20 de março de 2011 | postado por Cinthya Leite

Formulado com componente idêntico ao estrogênio produzido pelo organismo da mulher, o produto colabora para redução do fluxo menstrual, entre outras vantagens (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO – Meninas, levante a mão quem sempre desejou uma pílula anticoncepcional que ofereça pouquíssimos efeitos colaterais. Várias de nós, não é mesmo? Afinal, já se foi o tempo em que a gente desejava apenas um contraceptivo que impedisse a gestação não desejada. Agora, nós queremos mesmo comprimidos com essa função e com vários outros bônus, procede?!?

E Qlaira, o novo anticoncepcional da Bayer HealthCare Pharmaceuticals, chega como mais uma opção para quem deseja muito mais do que contracepção. Formulado com valerato de estradiol, componente idêntico ao estrogênio produzido pelo organismo da mulher, o produto entre outras coisas, colabora para a redução do fluxo menstrual.

“Ainda existe muitos mitos em relação à pílula. O fato de ter uma opção com estrogênio natural muda exatamente essa percepção de medo que algumas mulheres ainda possuem”, diz o o ginecologista Carlos Alberto Petta, da Universidade Estadual de Campinas. Ele ainda faz questão de frisar que todos os contraceptivos orais disponíveis hoje são seguros do ponto de vista de saúde e controlam muito bem a fertilidade.

(Revista JC de hoje também traz matéria sobre Qlaira. Clique aqui para ler)

“Nenhum deles é nocivo para quem pode tomá-los”, assegura Petta, que completa: “A escolha da mulher e a decisão do médico se baseiam geralmente nos benefícios adicionais à anticoncepção”. Pois é, meninas, enquanto algumas pílulas evitam a gravidez e ajudam a diminuir o inchaço corporal no período menstrual, outras impedem também a gestação e dão uma mãozinha na diminuição em vários outros sintomas da tensão pré-menstrual. São fatores que realmente pesam na preferência e dependem de mulher para mulher.

Sobre o uso de Qlaira, é fundamental este alerta: não é pelo fato de ser natural que esse anticoncepcional deve ser usado por qualquer mulher. “Aquelas já estão acostumadas com a pílula que tomam habitualmente não precisam mudar. E é bom ficar claro que a singularidade de cada paciente é um quesito primordial na prescrição de qualquer contraceptivo”, ressalta o mastologista Afonso Nazário, chefe do departamento de ginecologia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

De acordo com o ginecologista César Eduardo Fernandes, professor da Faculdade de Medicina do ABC (Santo André/SP), o uso de Qlaira (ainda) não está indicado para quem tem histórico de tromboembolismo venoso (TEV), embora seja um produto com estrogênio natural. Trata-se de um problema bem raro em mulheres jovens, embora não impossível.

“Com o estrogênio natural, reduzem-se as possibilidades de impactos metabólicos negativos no organismo, mas ainda não podemos dizer que o novo contraceptivo pode ser usado em quem já teve eventos de TEV”, salienta César, que é presidente da Associação de Ginecologia e Obstetrícia do Estado de São Paulo (Sogesp).

"Qlaira pode ser prescrito com segurança até a menopausa para mulheres sem contraindicação para uso de pílula anticoncepcional", diz César Eduardo Fernandes (Foto: Divulgação)

Apesar de (ainda) não ser prescrito para as mulheres que já tiveram trombos e embolia pulmonar, Qlaira pode ter seu uso prolongado e sem interrupção para mulheres sem riscos para tomar pílulas. “Além de possibilitar um bom controle do ciclo menstrual, o novo contraceptivo pode ser prescrito com segurança até a menopausa para essas mulheres”, acrescenta César Eduardo Fernandes.

E mais: por causa de suas características, Qlaira apresenta outros importantes benefícios também observados nos demais anticoncepcionais orais de baixa dosagem. Entre eles, estão menor incidência de cólica menstrual, diminuição da ocorrência de cistos ovarianos e de endometriose, redução de risco para doença fibrocística da mama e alguns tipos de câncer como o de útero.

Sobre o componente progestagênico de Qlaira, o dienogeste, vale informar que ele possui características muito semelhantes às da progesterona (o progestagênico produzido pela mulher) e, por isso, pode ter efeitos semelhantes ao da própria progesterona.

Menos fluxo – Os estudos clínicos realizados para o desenvolvimento deste novo contraceptivo demonstraram que suas usuárias deixaram de sangrar em 18% a 22% dos ciclos por que passaram enquanto tomavam Qlaira. “Além do fato de que algumas mulheres podem deixar de ter o sangramento entre as cartelas, os estudos também apontaram que o sangramento, quando ocorre, pode vir durante menos dias e com intensidade de fluxo reduzida”, sublinha César Eduardo Fernandes.

Para saber o que o universo feminino pensa sobre essa questão do sangramento, a Bayer HealthCare Pharmaceuticals, em parceria com o Centro de Pesquisas em Saúde Reprodutiva de Campinas, (Cemicamp), ligado à Unicamp, desenvolveu um levantamento com 1.111 mulheres de São Paulo, Campinas, Porto Alegre, Recife e Belém.

O resultado mostrou que 66,1% das entrevistadas usariam a pílula anticoncepcional para controlar a quantidade do fluxo menstrual. Entre elas, o contraceptivo serviria para diminuir o fluxo (82%), menstruar quando quiser (22,6%) ou não menstruar quando desejar (12,7%). “A pílula normalmente diminui o sangramento”, assegura Carlos Alberto Petta, um dos pesquisadores.

“E nesse sentido, estudos clínicos demonstraram que Qlaira reduz a quantidade e a duração do sangramento, servindo também para tratar aquelas pacientes com fluxo exacerbado”, finaliza o especialista.

* Quer saber mais? Leia, na Revista JC de hoje (20/3), matéria sobre este novo contraceptivo. Se quiser, confira a reportagem clicando aqui.

5 Comentários

Assine os feeds dos comentários comments rss ou deixe um trackback

  1. Tomo contracepitivos ha bastante tempo (06 anos), e meu rosto ficou repleto de manchas escuras, troquei de remedio contracepitivo (sob orientação médica), fiz tratamento para as manchas e todos dizem que as mesmas são dos remedios (contracepitivos). o qlaria por ter componentes naturais reduz essa incidencia de manchas pretas?? me ajude….

  2. srs ha 1.5 fiz histerectomia radical por endometriose, 3 meses antes tinha tido embolia pulmonar depois de uma dermolipectomia abdominal, comecei a fazer uso do trh 8 meses depois da cirurgia. Agora, minha go passou Qlaira; tenho um certo medo de tomar por causa do problema que tive. Devo tomar Qlaira?P or favor me ajude.Obrigada

  3. FAÇO USO DE ANTICONCEPCIONAL ORAL MAS NAO DOU CERTO TENHO PEQUENOS SANGRAMENTOS CHAMADOS “ESCAPE” AGORA COMECEI A TOMAR QLAIRA TENHO CERTO MEDO DE ENGRAVIDAR SERA Q A POSSIBILIDADE É MAIOR DE ENGRAVIDAR? OBRIGADO

  4. Oi, Geralda.
    Todos os contraceptivos orais disponíveis no mercado brasileiro oferecem, segundo os médicos, segurança em relação à anticoncepção. Riscos existem sim, com qualquer um deles, mas é bem pequeno. Qlaira, assim como todos que já estão nas prateleiras das farmácias, também é bem eficaz. Mas para existir a eficácia, vale lembrar, não podemos esquecer de tomar os comprimidos diariamente, na mesma hora de sempre, ok? Para ficar mais tranquila, converse com seu médico e nunca faça uso de automedicação, ok?
    Um abraço,
    Cinthya

  5. Eu uso qlaira e realmente me sinto muito mais segura com relação a contracepção, e confirmo a diminuição de alguns sintomas desagradaveis que aparecerem ao inicio do periodo menstrual. Tambem, uso qlaira para diminuir a incidencia de hormonios policisticos e acho que esta funcionando porque não tive mais colicas e nem dores abnominais tão fortes. Mas é valido a opinião medica na hora de decidir, então ai vai a minha dica, pra mim deu certo…

 
Todas as informações apresentadas neste blog estão disponíveis com objetivo exclusivamente educacional. Dessa maneira, nosso conteúdo não pretende substituir consultas médicas, realização de exames e tratamentos médicos. Sempre que tiver uma dúvida, não deixe de conversar com o seu médico, que é o profissional mais adequado para esclarecer todas as suas perguntas. E nunca se esqueça de que o direito à informação correta é essencial para a prevenção e o sucesso do tratamento. E mais: o conteúdo editorial do Casa Saudável não apresenta relações comerciais com possíveis anunciantes e patrocinadores do blog.